quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Christmas - Capítulo 1

Em parceria com Lu em seu mundo... vamos fazer uma fanfic especial de natal *-*



Isso não estava certo.
Eu compro um super presente (um celular que ele tanto queria) e como ele retribuiu?
Cho-co-la-tes.
Isso mesmo: uma caixa de bombons.
Ah! Mas ele iria pagar...


CAPÍTULO 1 - CHOCOLATES?!




- Bom dia, senhora Sugar. - cumprimentei a mãe de seu melhor amigo com um grande sorriso no rosto.
- Candace,  já disse que pode me chamar de Vera. - a Vera, igualmente sorrindo, abriu espaço para que eu pudesse passar pela porta e adentrar a linda casa.
A casa era aparentemente grande, mas era maior. Tinha a fachada verde com grades brancas. Uma linda casa para se morar. A porta era de metal pintado com um tom tão alvo quanto as grades do portão da garagem atrás de si. As paredes eram da cor creme e o piso era igualmente claro. Poucos moveis e sem nenhuma peça de decoração. A casa de desejaria morar um dia. Simples e aconchegante.
- Candy? - sorri ao ouvir Caleb pronunciar meu apelido irritantemente dado por ele há anos.
- Fala, cabeção! - respondi observando-o descendo as escadas para logo depois me dar um típico mata leão de 'bem-vinda, pequena'. - Sabia que um 'olá' é muito mais simples? - perguntei assim que ele me soltou, passando a mão na garganta - E menos doloroso?
Ele sorriu e posou seu olhar sobre as sacolas em cores natalinas em minha mão.
- Oh, é pra mim? - ele perguntou já direcionando as mãos até as sacolas. - Não precisava! - disse cinicamente  Ele ama presentes.
Aproveitei que graças ao mata leão ele estava atrás de mim e ao tentar pegar as sacolas ele passou a mão sobre mim, então dei uma bela cotovelada na boca de seu estomago.
- Nananinanão! Caleb Daniel Sugar, presente só na hora correta! - falei com voz manhosa e mexendo o dedo negativamente enquanto sorria da cara de dor dele.
- Caramba. Cada dia mais forte, hein, pequena? - Caleb tentou sorrir - sem sucesso - em meio a dor.
- Fazer o que? Quando se vive com dois irmãos mais velhos e tem um melhor amigo que só sabe me cumprimentar tentando me matar asfixiada se aprende algumas coisas. - disse enquanto subia a escada que Caleb descera um tempo atrás  logo em seguida de sua mãe.
- Vamos, filho. Candace deve estar com fome... - dona Vera chamou o filho.
- Claro que ela está. - ele suspirou. - Ela sempre está! - e subiu as escadas.
Seguimos até a enorme varanda. O clima era frio, mas eu gostava. Tirei minha jaqueta de couro e deixei o geladinho do frio cobrir meus braços e costas, no momento nus. Fechei os olhos e aproveitei o momento. O frio me acalmava por alguma estranha razão desconhecida.
Abri os olhos e reparei na decoração. Uma guirlanda verde pendurada na parede esquerda com uma mesa coberta de comidas e guloseimas logo ao lado. Senti minha barriga roncar e a minha boca salivar. Adorava a comida da mãe do Caleb.
Havia uma enorme arvore de natal esplendida no lado aposto da mesa com alguns poucos presentes abaixo dela com Fábio Sugar sentado em um banco lendo um jornal e tomando algo provavelmente quente - pelo frio e pela fumacinha que saia - em uma caneca branca com um bigode desenhado - presente que eu dera a ele no natal passado.
Caminhei até a árvore e deixei as sacolas que carregava junto com os outros presentes.
- Bom dia. O senhor está bem nessa linda manhã de dezembro? - me direcionei ao pai de Caleb que tirou os olhos do jornal.
- Candace! Minha pequena! - ele se levantou e me abraçou fortemente. - Quase nem te reconheci com essa formalidade toda.
- Fala, tio. - dei um aceno com dois dedos sobre minha cabeça e me dirigi até o lado de Caleb.
- Como você consegue fazer meu pai ser mais amigo seu do que meu? - ele me pergunta aos sussurros no pé do meu ouvido.
Dei de ombros e mostrei um sorriso "eu sou demais!" para ele como resposta.
O café-da-manhã fora maravilhoso, sério. Acho que fui a que mais comeu ali. Acho não. Tenho certeza.
- Acho que já podemos começar a troca de presentes... Estão todos satisfeitos? - Vera perguntou já se dirigindo até a árvore. 
- Claro. - Caleb disse.
- Estava ótimo, amor. - informou o tio Fábio.
- Hm-hum... - foi o que saiu. Caleb riu ao ver que estava com a boca cheia de panetone.
- Ok. Vamos começar. Vocês já sabem. É que nem todo ano: escolha a quem dará o primeiro presente que será o próximo a entregar o seu. Vamos ficar nesse ciclo até que todos já tenham seus devidos presente em mãos. - ela se abaixou e pegou um pequeno embrulho escondido em meio aos outros presentes. - Fábio Sugar... Acho que o papai noel lembrou de você essa manhã.
Sorrindo, Fábio vai até a esposa e lhe rouba um selinho. Pega o presente e então olha para mim e o Caleb ainda em mesa com um ar de suspense.
- Abre logo! - Caleb pediu.
- Mm-Hum-mm! - concordei, dessa vez com um biscoito caseiro em boca e quatro em mãos.
Era um lindo relógio prata. Fábio agradeceu e pegou seu presente: uma linda caixinha vermelha.
- Como descobri que uma certa garotinha gosta bastante de bigodes, eu... - Fabio não terminou sua fala por que eu já havia roubado o presente de sua mão e tentando abri-lo.
- Que lindo... - admirei o anel de pequeninas pedras negras: era um chapéu e um bigode. Encarei o tio Fábio - Foi a tia Vera que escolheu não foi?
Ele sorriu acanhado; admitindo. Abracei-o e beijei seu rosto como forma de gratidão.
- Estou louca para dar esse presente. Foi muito difícil de escolhe-lo, mas aqui está: pro meu chatonildo Caleb Daniel. - sorri e estendi uma sacola em cor esverdeada.
Ele caminhou até mim e me abraçou. Pegou sua sacola e abriu-a, encontrando outra caixa.
- Um... celular? - ele me perguntou incrédulo.
- Não é do modelo que você queria, mas foi o melhor que pude dar depois de o ouvir meses reclamando que não tem um celular descente.
Ele me abraçou novamente, quase me matando de asfixia.
- Ei, eu quero viver o resto do natal... - disse sufocada.
- Foi mal - ele disse me soltando. - Você é tão pequena... Esqueci que posso te sufocar com um simples abraço. - dou um tapa fraco nele e me dirijo a mesa.
Com muito insisto de seus pais - afinal, eles queriam ver a 'resposta' do emu presente - Caleb me entregou uma caixa. Com animação abri o embrulho e encontrei... uma caixa de bombons.
Chocolates? Era isso que ele havia me dado?
Ah, mas ele vai ver só...

Um comentário :

  1. LOL Véeei, eu amei *uuu* Quero acompanhar até o fim u-u' Uma caixa de chocolates? OMG, depois de um celular é isso que ele dá a ela? :/
    Princesa de Jeans

    ResponderExcluir

Faça a alegria dessa escritora!
Poste um comentário, mas... tenho algumas regrinhas
*nada de xingamentos
*se for criticar, apenas críticas construtivas
*coloque o link do blog para eu poder te visitar
Arigato